Actualizações recentes Mostrar/esconder comentários | Atalhos de teclado

  • José Freitas 10 Aug 2015, às 11:00 Permalink |
    Etiquetas:   

    Meetup WordPress do Porto

    O próximo meetup está agendado para o dia 27 de Agosto, a última quinta-feira do mês. Porque se trata de Agosto, vamos ter uma edição mais descontraída, dividida em duas etapas:
    1. Comunicação (criação de conteúdos).
    2. Slide karaoke. Vamos usar alguns slides de algumas comunicações e procurar recriar a apresentação de forma ligeira e divertida.

    O meetup de Agosto e o de Setembro (a anunciar em breve) serão realizados no Porto i/o, um espaço de cowork.
    Se nada houver a opor, será apresentado em breve como evento oficial da Comunidade Portuguesa de WordPress.

     
  • valerio 20 Jul 2015, às 9:49 Permalink |
    Etiquetas:   

    O primeiro Meetup WordPress em Aveiro está agendado para dia 31 de Agosto, segunda-feira.

    Sentimos que em Aveiro há muita gente interessada em reunir e falar WordPress, então temos de passar as palavras à prática. Neste primeiro meetup, vamos introduzir os presentes à comunidade, explicar o conceito de meetups, seguindo depois o tema “Newsletters no WordPress”.

    O começo será às 19h no Rebaldaria, e a participação é gratuita.

    Há ovos moles, espaço para perguntas e respostas, dizem até que o sitio é bom para jantar, mas ninguém obriga.

    Podem já aderir em http://www.meetup.com/pt/Aveiro-WordPress-Meetup/. O evento será anunciado dentro de alguns dias se nada houver em contrário.

     
  • Álvaro Góis 16 Jul 2015, às 11:13 Permalink |
    Etiquetas: , dúvidas,   

    Uma discussão de fundo que, mais ou cedo ou mais tarde, teremos teríamos de fazer – uma nova tradução para “post type”.

    Como sabem, “post type” no WordPress não equivale em absoluto a post/artigo. Uma página é um “post type”, assim como um anexo ou um menu. Quem desenvolveu esta nomenclatura errou (vá, não estava à espera que a coisa descambasse para milhões de instalações).

    Quando foram introduzidos os custom post types talvez se devesse ter reformulado a nomenclatura, e isso não aconteceu, imagino eu, devido à retrocompatibilidade do WordPress. O que não significa que nas traduções não possamos/devamos fazer essa distinção.

    Em alguns contextos – sobretudo plugins – tenho optado por tipo de conteúdo, mas essa decisão tem sobretudo a ver com o uso e a percepção do conceito. Alargando a custom post type teríamos tipo de conteúdo personalizado, o que faz sentido. E vem até na linha do que outras aplicações (que não usam post para tudo) sugerem. Aliás, nem é preciso ir a outras aplicações, mesmo no contexto do WordPress isso está assumido: Jetpack, Pippin, Smashing Magazine.

    Que vos parece?

     
  • José Freitas 14 Jul 2015, às 16:05 Permalink |
    Etiquetas:   

    Meetup WordPress do Porto a 30 de Julho

    O próximo meetup WordPress do Porto está agendado para 30 de Julho, às 19h00, no Café da Praça, em Matosinhos. Bruno Santos e Edgar Oliveira vão falar sobre web design para WordPress.

    Depois da apresentação inicial haverá espaço para perguntas e respostas, bem como para o debate do assunto.

    A participação é gratuita.

    Se nada houver em contrário, este evento será anunciado em breve como tendo o carimbo da Comunidade Portuguesa de WordPress.

     
  • José Freitas 1 Jul 2015, às 9:18 Permalink |
    Etiquetas:   

    Meetup WordPress do Porto adiado uma semana, de 2 para 9 de Julho

    Devido a um impedimento de última hora de Marcel Schmitz, o meetup agendado para esta semana, quinta, 2, foi adiado para quinta, dia 9 de Julho.

    O evento está marcado para a hora habitual, 19h00, e vai decorrer no Café da Praça, em Matosinhos.

     
  • José Freitas 17 Jun 2015, às 17:04 Permalink |
    Etiquetas:   

    WordCamp Europa – Dia do Contribuidor

    Para o terceiro dia do WordCamp Europa 2015, domingo, o Dia do Contribuidor, está a ser preparado um workshop sobre a organização de meetups e WordCamps.

    Será pelas 12h30 no Barceló Gran Hotel Renacimiento, o mesmo local dos dois dias de conferências.

    Se vais ao WordCamp Europa e estás interessado em contribuir para o WordPress em Portugal através da promoção de eventos, poderás juntar-te a este grupo e esclarecer algumas dúvidas.

    É necessária inscrição, que podes fazer aqui. Escolhe a opção community.

     
  • José Freitas 8 Jun 2015, às 12:03 Permalink |
    Etiquetas:   

    Meetup WordPress do Porto a 2 de Julho

    O próximo Meetup WordPress do Porto está agendado para o dia 2 de Julho, pelas 19h00.
    O local está ainda por definir em concreto mas será conhecido em breve. O tema está definido.

    Marcel Schmitz, da hellodev, vai apresentar uma versão adaptada da talk que protagonizou no WordCamp Lisboa deste ano.

    Vai abordar como integrar o WordPress no desenvolvimento para mobile, fazendo uso da WP REST API.

    Como sempre haverá espaço para perguntas e respostas no final, bem como para o debate do assunto.

    A participação é gratuita.

    Se nada houver em contrário, este evento será anunciado em breve como tendo o carimbo da Comunidade Portuguesa de WordPress.

     
  • José Freitas 4 Jun 2015, às 11:07 Permalink |
    Etiquetas:   

    Já sabes como vais ao WordCamp Europa em Sevilha? E que tal com a WPTrips?

    Esta é a viagem na qual Jorge Jesus e Ricardo Quaresma queriam participar mas nós não deixamos.

    O próximo WordCamp Europa vai realizar-se aqui ao lado, na cidade espanhola de Sevilha, capital da Andaluzia. Serão três dias intensos entre 26 e 28 de Junho.

    É uma oportunidade única para conseguir levar uma “comitiva” nacional a um WordCamp Europa, que está já ali.
    Não só podemos beneficiar do facto de viajarmos em grupo, conseguindo condições de viagem atractivas, como ainda temos a possibilidade de alargar o networking às horas de viagem entre o Porto e Sevilha. Apesar de tudo, não são muitas as oportunidades que a Comunidade nacional tem de se encontrar cara-a-cara.

    Com saída do Porto (no dia 25), está prevista uma paragem em Aveiro e outra em Lisboa, tanto na ida como no regresso (no dia 28), sendo que a rota final será definida mediante a localização dos inscritos.

    Se as inscrições o justificarem, poderão ser consideradas paragens intermédias, desde que não tenham um impacto significativo na duração e extensão da viagem.

    Em Sevilha, o autocarro fará, todos os dias, as deslocações de ida e regresso entre o centro da cidade e o local do WordCamp, para quem ficar na cidade.

    Cada bilhete custa 60 euros.

    Esta viagem é uma organização conjunta de elementos da Comunidade Portuguesa de WordPress e da Assus – Associação Solidariedade Social da Urbanização do Seixo.

    Podes comprar o bilhete utilizando o formulário no website, pagando através de transferência bancária. Tens um prazo de 24 horas para proceder à transferência.

    No site há uma área de FAQ e outra de Termos e Condições para responder às dúvidas. Se a tua dúvida não estiver por lá, usa o formulário de contacto existente ou pergunta por aqui.

    O autocarro tem capacidade para 30 lugares.

    Se estás interessado não percas tempo e trata já do assunto. O processo ficará concluído até ao próximo dia 10.

     
  • José Freitas 29 May 2015, às 16:07 Permalink |
    Etiquetas:   

    Conteúdos – website da Comunidade

    Pessoas dos Conteúdos: no Trello (no board dos Conteúdos) está inserida uma dezena de tarefas à disposição, além daquelas que me atribui a mim próprio. São definições e tutoriais. Peguem numa em que estejam à vontade e marquem-na. Peguem numa de cada vez. Aos poucos serão acrescentadas mais. Muito Importante: submeti uma breves linhas relativas à política editorial, uma espécie de mini livro de estilo. Podem consultar aqui: https://www.dropbox.com/s/hbb6vku1sbl6npv/Pol%C3%ADtica%20editorial%20para%20a%20area%20de%20conteudos%20do%20WP-Portugal.md?dl=0

     
  • Nuno Morgadinho 29 May 2015, às 15:20 Permalink |  

    UX/Design Novo Website Update

    1. O que se fez a semana passada?
    2. O que se vai fazer esta semana?
    3. Impedimentos?

    /cc @manuel-quadros-e-costa, @joanacardoso, @pedrosemeano, @bruno-cartaxeiro, @marco-pereirinha, @ruben-martins + alguém se quer juntar à equipa do UX/Design do novo site?

     
    • Nuno Morgadinho 29 Mai 2015, às 15:22 Permalink | Inicie a sessão para responder

      1. Nada ainda
      2. Avançar com um starter theme (e.g. foundationpress) e iterar sobre essa base, i.e. o pessoal do design/UX ir propondo/fazendo alterações através de pull requests de html/css.
      3. o @asturmas ainda não disponibilizou o staging e o @ze-fontainhas ainda não me deu acesso de escrita ao repo no Github
    • pedrosemeano 29 Mai 2015, às 21:08 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Olá a todos!

      Antes de mais, quero pedir desculpas a todos porque não tenho dito nada desde o Wordcamp. E a razão para tal é apenas uma: trabalho. Não tive qualquer disponibilidade para me envolver na criação do website.

      No entanto, há algo que gostaria de partilhar com vocês. Confesso que este modelo de escrita aqui no Palheta me parece um pouco disperso e confuso. Já trabalhei com várias equipas remotamente, no entanto nenhuma com tanta gente envolvida, e nada que se parecesse com o método de trabalho aqui adoptado. Acho que o Trello é capaz de funcionar, mas sem uma reunião semanal e distribuição de tarefas, fica tudo muito disperso. E fazer as coisas à base de “ir fazendo alterações e depois logo se aprova” não me convence e acho que ninguém gosta de perder tempo. Deveria de se definir alterações concretas, atribuir as tarefas, e avançar.

      Não levem a mal, é apenas a minha opinião :)

      Abraço a todos!

    • grotesca 29 Mai 2015, às 21:34 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Olá @pedrosemeano, estou de acordo com a ideia de uma reunião regular para se fazer o ponto da situação.

      não sei se poderá ser um encontro ao vivo e a 5 dimensões.

      sei de alguns de nós que não terão tanta facilidade em se deslocar pelo país fora (eu por exemplo).

      talvez esse encontro se possa fazer online, via slack por exemplo pois parece de utilização mais simples. já lá estamos todos penso eu. acho que, no entanto, devemos trocar outros contactos (via slack?) para termos outras alternativas de contacto. os meus (mail, skype, tlm) já lá estão.

      queres combinar alguma coisa?

    • pedrosemeano 29 Mai 2015, às 21:41 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Sim, quando me referia às reuniões, seria sempre via Slack/Hangouts/Skype.

      • grotesca 29 Mai 2015, às 21:43 Permalink | Inicie a sessão para responder

        ok. então tens alguma proposta em concreto? reunir semanalmente? estabelecer um quórum de presenças? lançar uma lista de tópicos para irem sendo abordados durante uma semana e discutidos durante a semana seguinte?

    • pedrosemeano 30 Mai 2015, às 11:04 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Basicamente foi o que já disse no meu primeiro post. Criar uma lista de tarefas, reunir, distribuir, e repetir.

  • Rúben Martins 26 May 2015, às 17:10 Permalink |
    Etiquetas: , ,   

    Estou a fazer algumas traduções no transifex para alguns plugins do WP-Translations.org em pt_PT. Com isto costumao receber aprovação das mesmas? pois não existe reviewers.. somente um team manager/cordinnator

    https://www.transifex.com/projects/p/user-role-editor/language/pt_PT/

    Pergunto isto porque quero saber se vale apena fazer as traduções uma vez que por exemplo no plugin user-role-editor ainda nem uma tradução foi aprovada e já vai a 50% traduzido.

     
    • Tomé Mendes 26 Mai 2015, às 17:36 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Por experiência própria recomendo-te sempre a analisar bem os plugins que traduzes, datas das ultimas aprovações etc… Há por ai muito plugin interessante à espera de ser traduzido. Não percas tempo com plugins que são apenas colocados no Transifex à espera que alguem os traduza. Se possível entra também em contacto direto com o owner para saber mais detalhes.

      Atenção: Não quero dizer que seja o caso deste plugin, mas a verdade é que há mesmo muitos plugins que só são colocados em plataformas como Transifex na esperança de que alguém lhes toque.

      Qualquer coisa apita 😉

      • Pedro Mendonça 26 Mai 2015, às 17:40 Permalink | Inicie a sessão para responder

        Concordo, o idioma pt_PT WP-Translations do Transifex como está gera alguma confusão. O coordenador da equipa é o fxbenard (francês), não há revisores atribuídos para o nosso idioma. Não são raras as vezes em que encontro traduções incoerentes com a terminologia adoptada pelo core do WordPress. O contacto directo ou via github é bem mais eficaz. De qualquer modo não seria mal pensado propor os actuais revisores do Polyglot para revisores desta equipa no Transifex, até porque na sua maioria já lá estão.

    • José Freitas 26 Mai 2015, às 17:39 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Pelo que estive a ver, a equipa tem um coordenador, fxbenard, e não tem revisores. Tenta contactar o coordenador. Creio que as línguas dele são o francês e o inglês. Logo, creio que ele terá de indicar um revisor para o português.

      • valerio 26 Mai 2015, às 17:47 Permalink | Inicie a sessão para responder

        Eu conheço o fxbenard, trabalha connosco no MailPoet no Transifex. Envia-lhe uma mensagem mesmo por lá que ele é rápido a responder.

    • Rúben Martins 26 Mai 2015, às 17:47 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Pois já entrei em contacto com o coordenador para sugerir adicionar revisores ao pt_PT de forma a ser mais pratico não só para ele mas para as traduções em pt_PT que vejo tantas instalações de sites pt_PT com plugins em puro ingles e a nossa comunidade acho que tem capacidade para aqui e ali ir contribuindo nas traduções de forma a deixar a nossa marca como pt_PT

      E sim tenho conhecimento do polyglot e costumo lá ir contribuir https://profiles.wordpress.org/rubenmartins/ mas à muitos plugins que lá não estão :/ e por acaso agora descobri alguns no transifex mas depois de traduzir cerca de metade do user role editor fiquem desmotivado quando vi que era somente um coordenador o mesmo plugin ainda nao tinha nenhuma tradução revista pelo mesmo :/

      Se obtiver resposta do coordenador aviso.

  • Rúben Martins 22 May 2015, às 14:34 Permalink |
    Etiquetas: , , , ,   

    Que dizem de usarmos o http://www.invisionapp.com/ ou outro semelhante para o desenvolvimento do design? Para alem de termos o trello este invisionapp viria a nos ajudar no design onde todos os integrantes do grupo de design pudessem comentar e expor as suas ideias directamente nos wireframes do site o que acredito que ajudaria imenso a nos manter-mos focados e organizados.

    Que dizem de vossa justiça? 😛

     
    • kareca 22 Mai 2015, às 14:57 Permalink | Inicie a sessão para responder

      *usarmos

      Quanto à minha experiência, é uma ferramenta porreira para mostrar transições e as versões responsive dos projetos (isto na passagem do design -> development).

    • Malik Piarali 22 Mai 2015, às 16:17 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Nunca utilizei mas parece uma ferramenta bastante interessante Rúben.

    • Nuno Morgadinho 29 Mai 2015, às 15:15 Permalink | Inicie a sessão para responder

      @ruben-martins é uma ferramenta interessante para quando se pretende uma aprovação formal do design. No caso do site da comunidade acho preferível avançarmos com um starter theme (e.g. foundationpress) e iterar sobre essa base, i.e. o pessoal do design/UX ir propondo/fazendo alterações através de pull requests de html/css.

      A maneira como a comunidade deve funcionar é como o WordPress funciona também: através de patches e pull requests. Tudo o resto é, como diria o @jose-freitas, tesão de mijo.

  • Pedro Mendonça 21 May 2015, às 14:54 Permalink |
    Etiquetas: , , , , ,   

    Tradução de temas e plugins

    Depois de conversar com o @alvaro-gois-dos-santos e com @jose-freitas no #wclx15 e no slack, julgo que esta questão pode beneficiar dum debate mais alargado na comunidade.

    Actualmente a tradução do core e dos projectos do WordPress está centralizada na página da equipa de tradução pt_PT do próprio WordPress.

    A tradução de temas e plugins é naturalmente feita em contacto directo entre os respectivos autores e os tradutores, nas suas plataformas próprias. Cada um de nós que já traduziu um tema ou plugin, para fazer um bom trabalho, deverá conhecer o WordPress e a sua terminologia própria, comparando constantemente com os ficheiros de localização do próprio core (frontend e backend).

    Penso que haverá um enorme benefício para as versões portuguesas de temas e plugins se este trabalho individual for cruzado e debatido. No caso dos temas parece-me que o benefício é mais limitado, mas no caso dos plugins, há muitos que são instalados por uma grande maioria de utilizadores portugueses.

     

    Como fazer isto em comunidade?

    No meu processo individual de tradução, sempre que possível utilizo o GitHub para manter os meus ficheiros de tradução sincronizados com o repositório do autor. Com alguma frequência é necessário corrigir um bug relativo à tradução, a falta dum textdomain, ou submeter uma outra qualquer alteração à própria string. O processo individual tem esta vantagem.

    Em comunidade será bastante mais complexo manter uma base material a traduzir.

    Deverá a comunidade fazer um fork do repositório completo ou manter apenas uma cópia sincronizada do catálogo .pot do repositório do autor? Por vezes nem um .pot existe ou não está actualizado, há situações em que só existem os respectivos ficheiros .po/.mo, ou pior ainda, alguns repositórios têm apenas disponíveis os ficheiros .mo obrigando a que o tradutor mantenha o seu próprio ficheiro master .po.

    Há autores que delegam em comunidades do Transifex a tradução dos seus temas/plugins, o que torna demasiado frequente encontrar traduções feitas por profissionais, mas sem conhecimento das terminologias próprias adoptadas pelo WordPress em português, já para não mencionar traduções automatizadas via google.

    Aquilo que penso ser viável é pensar no processo que cada um de nós já utiliza individualmente e traduzi-lo para a comunidade, deixando naturalmente de fora os processos de debug.

    Seria possível manter um repositório de traduções da comunidade WP-Portugal, onde se poderiam incluir as traduções que já foram feitas por cada um de nós. A dificuldade poderá existir em manter sincronizado o tal .pot que por vezes não existe, mas também não é difícil de criar. Por fim, a tradução concluída poderia ser submetida ao autor do tema/plugin, com a validação da comunidade.

    Na minha transposição do processo individual para a comunidade parece-me facil via GitHub, mas acrescento por sugestão do @alvaro-gois-dos-santos a possibilidade duma instalação GlotPress próprio da comunidade, onde se centralizaria este trabalho à imagem do que é feito no Polyglots do core como mencionado acima. Uma vantagem desta última sugestão é os tradutores não precisarem de qualquer conhecimento de Git, o que aumenta consideravelmente a quantidade de possíveis tradutores.

    Não sendo programador, convido todos os que se interessem por este tema a pensar num processo de automatizar a sincronia destas traduções com os repositórios dos autores. Julgo que haverá forma de notificar a existência de novas strings para traduzir com algo como o GlotPress Notify.

    Resumo do processo:

    • Adicionar tema/plugin à plataforma
    • Traduzir em comunidade
    • Submeter/sincronizar com o repositório do autor

    O convite à tradução de plugins e temas abre outras discussões periféricas, como a lista do que deve ser traduzido, os opensource vs comerciais, contrapartidas, a atribuição duma qualquer validação pela equipa de tradução da WP-Portugal, a manutenção manual ou automatizada do glossário, etc.

    Embora eu prefira traduzir projectos por natureza abertos à comunidade, esta lista ou escolha de material a traduzir parece-me perfeitamente orgânica, os que reunirem mais interessados serão naturalmente os mais acompanhados pela comunidade de tradutores.

    Sem que este tópico se sobreponha à tradução do próprio core, espero que este debate ajude a optimizar nosso esforço individual enquanto tradutores que mantêm alguns temas/plugins, para que este trabalho não se perca e todos ganhem.

     
  • Álvaro Góis 21 May 2015, às 11:46 Permalink |
    Etiquetas: , comentários,   

    Ninguém tem problemas a responder a comentários aqui neste P2 do Palheta?

     
  • Nuno Morgadinho 20 May 2015, às 21:30 Permalink |  

    Vou dizer de minha justiça alguns pontos que considero serem importantes para o design do novo website da comunidade:

    • deve ser um ponto de entrada para quem está a chegar à comunidade;
    • deve informar sobre como a comunidade funciona, próximos eventos, projetos montra e restantes pontos já identificados pelo @alvarogois no TOC que está na pasta design no repo do site;
    • as acções principais no site devem ser “juntar à comunidade” (seja através de subscrição no blog, registo no palheta ou Slack;

    Algumas coisas a acrescentar? Alguns sites que identifiquem como referências interessantes a considerar?

    /cc  @manuel-quadros-e-costa,@joanacardoso, Luis Chagas , José Serrão, Robson Junior, João Okica, @pedrosemeano,@bruno-cartaxeiro@marco-pereirinha, @marcoperalta

     
    • fictionedge 21 Mai 2015, às 8:22 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Concordo plenamente

    • Nuno Morgadinho 21 Mai 2015, às 9:43 Permalink | Inicie a sessão para responder

      /cc @davidrslopes, @Cíntia Nunes, @malikpiarali

    • susanasalgado 21 Mai 2015, às 11:10 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Se calhar já falar disto, mas seria interessante ter um acesso a zona de documentação oficial, links de download.

      Existem algumas perguntas recorrentes que se fazem à comunidade? Poder-se-ia pensar num género de FAQ.

    • luischagas 21 Mai 2015, às 13:25 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Concordo com o Nuno Morgadinho (como a comunidade funciona, próximos eventos, projetos montra e restantes pontos já identificados pelo @alvarogois no TOC que está na pasta design no repo do site) e com a Susana Salgado (zona de documentação oficial, links de download, FAQ)

    • luischagas 21 Mai 2015, às 13:28 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Quanto mais completo, melhor (se bem organizado e limpinho), sei que se pode ir buscar estas infos a outros sitios, mas saber ou aprender o máximo sem sair do website da comunidade, seria um bom objectivo.

    • susanasalgado 21 Mai 2015, às 15:19 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Existem dados dos elementos da comunidade? Seria interessante partilharmos (e conhecermos melhor) como se compõe a nossa comunidade. Até para que próximos meetups ou mesmo WordCamps possam ser mais direccionados para grandes áreas de interesse ou em alternativa, de lacuna. Que acham?

      • José Freitas 21 Mai 2015, às 15:44 Permalink | Inicie a sessão para responder

        Acho muito bem. Uma das ideias passava por fazer uma sondagem, o mais participada possível para procurar conhecer melhor a comunidade de utilizadores (dentro do possível).

        • Rúben Martins 21 Mai 2015, às 15:50 Permalink | Inicie a sessão para responder

          Para além da sondagem acho que seria benéfico o próprio utilizador na sua página de perfil http://palheta.wp-portugal.com/wp-admin/profile.php adicionar mais dados de select boxes que seria um género dessa sondagem e ficaria sempre no seu perfil de utilizador aqui da comunidade. Com esses dados poderia-se criar estatisticas e ver para que lado a comunidade é mais forte em termos dos perfis das pessoas assim como onde melhorar para trazer mais gente das restantes áreas. Não sei se me fiz entender…

          • susanasalgado 21 Mai 2015, às 17:11 Permalink | Inicie a sessão para responder

            E podíamos ter depois uns graficos, algo visual muito apelativo que partilhasse essas características do grupo.

            • Rúben Martins 21 Mai 2015, às 17:19 Permalink | Inicie a sessão para responder

              Concordo, até era possível depois adicionar uma area talvez em formato widget na lateral com as ultimas novidades/informações importantes destacadas filtrado para o seu tipo de perfil. Ou seja se for utilizador designer irá surgir informações ou novidades da comunidade sobre design, quem diz design diz developer, utilizador final, etc..

    • susanasalgado 21 Mai 2015, às 17:23 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Ideias não faltam! :)

  • asturmas 20 May 2015, às 15:49 Permalink |
    Etiquetas: documentação,   

    Eu sei que falamos disto no domingo e de momento ninguém tem disponibilidade para traduzir a documentação mas acedi-lhe agora para dar o link a um cliente e fiquei chocado.. https://codex.wordpress.org/pt:P%C3%A1gina_Inicial

    A nossa documentação fala de WordPress MU (que já não existe como ali esta descrito) e WordPress 2.9(!)? Pelo menos e enquanto não se consegue fazer nada melhor secalhar seria produtivo editar aquilo para tirar as referencias a tudo o que seja pré-histórico?

     
    • Álvaro Góis 20 Mai 2015, às 15:57 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Tens razão. Ainda por cima parece-me a versão brasileira. Brasileiros que, contudo, têm um codex muito mais apelativo: https://codex.wordpress.org/pt-br:P%C3%A1gina_Inicial

      • asturmas 20 Mai 2015, às 16:01 Permalink | Inicie a sessão para responder

        Estive 5 minutos a explorar a nossa documentação e além de não termos quase nada temos coisas mesmo da idade da pedra.

        Muito sinceramente acho que só temos duas possibilidades:

        • Pedir para que seja tudo apagado, pois da forma que esta apenas baralha as pessoas, nem quero imaginar os users que estão a dar os primeiros passos a cair naquilo em que praticamente não existe conteúdo ou existe conteúdo de 2009…
        • Dedicamo-nos a serio a documentação que me parece ser algo muito importante.

        Quanto aos zucas, realmente ele apelativo é mas não sei até que ponto faz sentido ser totalmente diferente pelo menos visualmente do Ingles.

        • Álvaro Góis 20 Mai 2015, às 16:14 Permalink | Inicie a sessão para responder

          Começando pelo fim, não me faz espécie. A apresentação deles faz a ligação à própria identidade da Comunidade Brasileira, e isso pode ser um factor importante de ambientação.

          Quanto ao resto que referes, primeiro, deve ser apagado sim pois está desactualizadíssimo e, pelo aspecto, nem deve ter qualquer tipo de intervenção da Comunidade Portuguesa. Também acho que devemos dedicar-nos a sério à documentação. Mas se nos pomos a fazer tudo ao mesmo tempo não acabamos nada.

    • Rúben Martins 20 Mai 2015, às 16:44 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Concordo que deve ser dado a devida atenção a esta secção também mas não só conforme o @alvaro-gois-dos-santos mencionou temos de ir fazendo as coisas como deve ser senão vamo-nos perder com tanto que temos por fazer.

      Entretanto já comentei as linhas e categorias “WordPress 2.9 Information” e “WordPress 2.8 Information”. Quanto às restantes terá de ser analisado e decidir-se modificar ou apagar por completo e começar-mos de novo contudo sou da opinião que temos de estruturar isto bem pois os conteúdos que serão apresentados aqui serão também maioritariamente incluídos no desenvolvimento do novo website e que podemos aproveitar os conteúdos para os distribuir nestas páginas pelas quais muitas pessoas se guiam para entrarem ou consultarem dados sobre o WordPress.

    • José Freitas 20 Mai 2015, às 18:39 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Daí ter abordado a vontade de traduzir o Codex para pt_PT. O problema é que cada coisa deve ser feita a seu tempo. O novo website da comunidade é prioritário e é uma empreitada bem dura. O Codex pode ficar para a segunda fase.

  • fredericopdg 20 May 2015, às 12:08 Permalink |
    Etiquetas: wordcamp lisboa 2015   

    Não tive oportunidade de o dizer, mas parabéns pelo sábado bem passado.

    Foi bom, embora ache que poderiam haver oradores de outras áreas…penso que uma das razões pela qual o evento não tem mais adesão (pergunta do final do evento) passa precisamente por os temas abordados…

    tudo bem que são temas importantes mas na minha opinião, eram coisas técnicas demais (de todas só percebi a 100% uma ou outra e o objectivo não era esse….). Acho que ganhariam mais público se os temas abordados fossem mais do conhecimento geral e virados para utilizadores mais “simples” se é que se pode usar este termo….exemplo:

    1- a oradora do mailpoet que foi falar sobre o suporte. eu pergunto-me quantas das pessoas que la estavam fazem plugins e aprenderem de facto com o que ela disse sobre a maneira de como tratar o cliente/user do plugin? Talvez fosse melhor ter uma pessoa a falar como criar uma boa Newsletter e enviar a partir do WP? chamaria muito mais pessoas e de outras áreas penso eu, como o pessoal de marketing que usa o WP nas suas empresas….

    2- o Casestudy do observador era bom para perceber a dimensão do projecto, mas no fundo duvido que 80% das pessoas tenham percebido de facto como é que aquilo funciona até porque nem falou de como o site usa o WP mas sim do hardware por trás…para alem de os termos usados serem muito complexos e apenas serem conhecidos por quem trabalha com isso diariamente….

    3-a oradora SEO, foi la falar de SEO mas na realidade não disse como o fazer da maneira certa nos websites WP….falou apenas da sua experiência…ou seja, vi aquilo como uma história e não como uma “formação”….podia ter falado de como optimizar o site a partir do dashboard….que plugins, que maneiras, que técnicas….etc

    4-A primeira oradora, sobre os temas e plugins….podia ter falado dos mais conhecidos e utilizados e o que cada um faz ao site que começa do 0…..quais as vantagens de usar este ou aquele para este ou para aquele efeito…

    no geral gostei, mas acho que podia ter tirado muito mais do que tirei se os oradores fossem falar de uma maneira mais “geral” para um publico mais “recente no wp”….

    isso também iria cativar novos users a irem ver o evento e quem sabe a usar a plataforma….

    um parte virada para quem programa javascript? ok eu percebo que seja importante mas quantos dos que la estavam fazem isso? e será que esse tema chama novas pessoas para o evento? duvido até porque basta ver aquele código e perde-se a vontade (NÃO TIRANDO MÉRITO Á ÁREA NEM AO ORADOR ATENÇÃO!)

    e pronto é este o meu feedback quanto ao evento….espero que não me levem a mal, mas foi a ideia com que fiquei e eu sou um dos “públicos-alvo” supostamente.

    De qualquer forma, queria dar os parabéns ao pessoal envolvido….sem dúvida todos 5 estrelas e com muita disponibilidade e vontade de ajudar!

    Como designer, também estou disponível a ajudar com o novo website! Abraços a todos e parabéns! para o ano há mais!

     
    • kareca 20 Mai 2015, às 12:18 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Eu gostei de quase todos também. Tirando a parte de promoção da própria empresa (principalmente da Log, mas percebe-se) foi bem positivo. E da oradora de SEO, que foi fraquinha e no final deixou um comentário no ar que envergonha.

      Pode-se entender a oradora do MailPoet não como alguém que “faz suporte de plugins”, mas sim de um modo geral, alguém que “cuida” de um cliente. Houve pontos importantes que ela tocou e que podem ser importados por qualquer pessoa que lide com clientes.

    • asturmas 20 Mai 2015, às 12:34 Permalink | Inicie a sessão para responder

      O programa apenas foi revelado uma semana antes do evento por isso não me parece que seja por aí. Quanto a questão da oradora do mailpoet, nem todos damos suporte a plugins mas todos (ou quase) lidamos com clientes e a talk foi muito nesse espírito. Posso dizer que é estando eu na área do suporte de uma empresa de alojamento tudo o que ela disse se aplica da mesma forma. Relativamente à talk da @ana-aires eu compreendo que um iniciante queria uma lista de plugins a usar mas ela explicou na talk como os podem escolher no repositório oficial e como chegar a eles.

      • fredericopdg 20 Mai 2015, às 12:55 Permalink | Inicie a sessão para responder

        Perceberam mal o que disse…talvez tenha o tenha dito da forma errada. Não queria de forma alguma tirar o mérito aos oradores nem às suas apresentações. De salientar que o meu post começa com um parabéns à equipa para demonstrar precisamente o meu contentamento com o evento.

        @kareca concordo perfeitamente contigo, e acho que tens toda a razão até pq nunca disse o contrário…eu falei apenas na perspectiva de chamar mais pessoal ao evento e novos users ao WP como plataforma de gestão de websites e muito mias….essa parte do suporte, para novos utilizadores do WP, teria muito mais interesse se fosse sobre como funcionar com newsletters via WP e não só…para alem de que iria apanhar pessoal de outras áreas (vendas marketing etc) que iram ver a apresentação de outra forma e talvez tivessem ido ou até mesmo a aderir ao WP nas suas empresas depois de perceberem as potencialidades que tem.

        @asturmas quando falei na apresentação da @ana-aires não era nesse sentido! para mim foi muito boa até porque já estou dentro do WP à algum tempo…mais uma vez, seria apenas relativamente a tentar chamar mais pessoal para o evento e com isso para a comunidade onde sao dadas dicas aos “novatos” do WP. Ou seja iriam apanhar pessoas que se calhar nunca mexeram no WP mas que com essa introdução de o que é o WP e que plugins e temas são bons para começar a experimentar, talvez as pessoas saíssem de lá com uma nova versão do que é o WP e como começar. Aproveito desde já para dar os parabens à @ana-aires visto que se encontra aqui.

        Só me estou a pôr no lugar de possíveis novos users e as conclusões a que cheguei foram essas. Volto a repetir que gostei muito do evento no geral mas acho que muitas apresentações foram um bocado “técnicas” demais para o “user” normal do WP, no entanto, eu percebo perfeitamente o porque de abordarem os temas visto serem funcionalidades importantes para users mais avançados e não podemos só pensar em nós….por isso estou de acordo com essa apresentação estar presente no programa.

        • asturmas 20 Mai 2015, às 12:59 Permalink | Inicie a sessão para responder

          Eu percebi muito bem o que quiseste dizer é por acaso até acho que o base vs técnico até esteve equilibrado. Seguindo o que tu dizes a única forma de agradar a todos seria com dois oradores em simultâneo em duas salas uma para assunto mais básicos e outra para mais técnicos mas isso para a nossa escala ainda me parece difícil.

          • fredericopdg 20 Mai 2015, às 13:15 Permalink | Inicie a sessão para responder

            Hmmm não creio que seja necessário isso até porque todos juntos com perguntas e perspectivas diferentes , toram a “formação” melhor até porque permite a interacção entre pessoas mais “dentro” da coisa com pessoas que possam estar eventualmente a começar. Quanto ao equilibro, concordo contigo! Mais uma vez, volto a repetir, eu só estou a fazer estes comentários relativamente à pergunta do final do evento em que se perguntou o porque de não ir mais pessoal ao evento ouvir os oradores e as apresentações. Para mim estava tudo certíssimo e não mudava nada. Mas se fores falar com colegas meus de profissão e se mostrasses o programa, provavelmente nenhum deles iria por não haver a ponte entre nós (designers) e o WP mesmo usando o WP para trabalhos que realizamos com clientes…percebes onde quero chegar?

            se o a parte do SEO fosse como optimizar o WP e as melhores formas e ferramentas de o fazer para potenciar negócios, muito provavelmente o nosso departamento de SEO teria ido para que haja precisamente essa ponte entre nos e eles…

            o email marketing o mesmo….teria ido também o pessoal do marketing….

            ou seja já estavam a levar 3 departamentos de 3 áreas apenas de uma empresa!!! Agora pensa nisto aplicada a todas as empresas….em vez de 50 pessoas, terias 100 ou ate mais!

            Eu por exemplo, sou designer mas trabalho com o WP apenas para websites e não tirei muito do que se falou em algumas apresentações…se tivesse uma componente por exemplo de metodologias associadas à criação de projectos e esse tipo de estratégias, garanto-te que o resto do pessoal do meu departamento também tinha ido porque no fundo todos os departamentos estavam a tirar alguma coisa que depois iram aplicar JUNTOS nos novos projectos….

            Imagina isto aplicado a empresas que ainda não usam o WP….acredita que iriam sair do evento com uma noção muito melhor do que o WP pode fazer e quem sabe, viriam a implementar no seu processo de trabalho….

            Mas hey!!! é só uma opinião!!! como designer (como já o referi) acho que não tirei o que podia tirar do evento…mas hey! o evento também não era virado para designers e era isso mesmo que estou a tentar dizer….abrir as portas com outro tipo de conteúdos (apresentações) para novos profissionais!!!

            Daí a falta de pessoas? talvez? talvez não….just my opinion 😉

            • rguerreiro 20 Mai 2015, às 14:20 Permalink | Inicie a sessão para responder

              Compreendo alguns dos pontos que referes que podiam ter abordado mais a parte prática como a talk de SEO. Quanto ao programa em si, é sempre complicado pois depende da área de especialização de cada um e do nível dentro da mesma área.

              Penso que se pode sempre melhorar mas o tempo das apresentações tb passa num instante. O caso de estudo do Observador no ponto de vista foi excelente, é claro que ter conhecimento na área ajuda, mas o que fica foi a solução tecnologica e engenhosa que arranjaram para demonstrar o que é possivel fazer com o WordPress quando o conteudo e acessos aos sites atinge niveis a que não estamos habituados. Isto vai ser optimo para mostrar como é possível ter um projecto de sucesso a todos os niveis com uma solução baseada em WordPress. É claro que todos queriam ver o admin/editor profile do Observador :)

              Ok houve 2 talks sobre suporte, se calhar trocava-se uma por outro conteudo como o Design ou outra área. Achei interessante pois sou developer e também faço suporte, e reconheci-me nas histórias contadas. É uma área vital para as empresas e em Portugal o suporte ainda deixa muito a desejar. Como foi dito 30% dos clientes comprar novos produtos das empresas não só pelo design/funcionalidade mas também porque quanto têm um crahs num site por falta de memória ou um conflicto de plugins alguém os ajudou a resolver isso.

              Penso que futuramente com o novo site e bons conteudos, se consigam instruir mais pessoas no WordPress.

              Se precisares de dicas de plugins e outras coisas ´é só perguntar que por aqui alguém te vai mostrar o caminho :)

              • fredericopdg 20 Mai 2015, às 15:06 Permalink | Inicie a sessão para responder

                @rguerreiro como já disse mais que uma vez, o meu post não se trata da questão de se as apresentações serviram para mim ou não!!! Peço por favor que leiam com mais atenção o meu post inicial. Dei os parabéns pelo óptimo sábado que passei na vossa companhia precisamente porque gostei do que vi/ouvi.

                O que quero dizer com isto é APENAS numa perspectiva de angariar novos utilizadores para o WP e mais profissionais para a comunidade! Dei exemplos do que poderia ser um futuro wordcamp Lisboa onde o objectivo passaria precisamente por tentar levar mais pessoas de áreas distintas, proporcionando apresentações de mais áreas e para todos os segmentos de mercado se assim o podemos chamar….ou seja só estou a pensar em conjunto com vocês, uma possível maneira de levar mais pessoas num futuro evento recorrendo a apresentações direccionadas para outro tipo de publico….isso levaria com certeza outro tipo de profissionais a participar no wordcamp sem sombra de dúvida (na minha opinião)

                Mais uma vez, estão todos de parabéns e volto a repetir que não mudaria nada! Esta linha de pensamento seria já para prepara o próximo!

                • rguerreiro 20 Mai 2015, às 15:32 Permalink | Inicie a sessão para responder

                  @fredericopdg A minha parte final da resposta, não tá relacionada com o conteudo do teu primeiro post, é só um aparte para caso necessites de alguma dica sobre plugins e configurações para estares à vontade e perguntar q ajudo no que souber.

                  Não sei se foste ao WordCamp em 2012 onde houve um apresentação do Vasco Marques sobre o site Marketing Portugal onde falou sobre o tema e os plugins escolhidos para o projecto, penso q fosse algo desse genero que falas em ser do interesse comum de muitos utilizadores.

                  Penso não existir uma formula secreta pois de um ano para o outro o WordCamp tem de sofrer alterações de conteudo. Vamos ver como será o ano q vem, entretando temos um projecto em mãos para fazermos a comunidade WordPress crescer. É claro que o mercado WordPress em Portugal é muito maior do que parece.

                  • fredericopdg 20 Mai 2015, às 15:38 Permalink | Inicie a sessão para responder

                    Certíssimo @rguerreiro! E sim, eu percebi :) Obrigado desde já pelo interesse em ajudar mas de qualquer forma, as dúvidas que vou tendo, vou tirando no grupo do facebook por me ser mais fácil…de qualquer forma agradeço desde já a disponibilidade.

                    Quanto ao wordcamp, também estou de acordo! Bora lá levar isto a outro nível! A razão pela qual decidi fazer o post era mesmo para tentar contribuir com a minha opinião para que no próximo ano as coisas sejam ainda melhores! Disponibilizo-me desde já para ajudar no que me for possível! Abraço!

        • Ana Aires 20 Mai 2015, às 14:19 Permalink | Inicie a sessão para responder

          Oi @fredericopdg, obrigada pelos teus comentários. Da parte que me toca a idea da minha talk era dar às pessoas ferramentas para saber escolher um tema ou plugin que é um pouco diferente do que propões, sugeres algo mais na onda de que plugins usar e porquê. Pessoalmente acho isso muito específico cada site é um caso e pode/deve ter necessidades diferentes e aí sim penso que serviria um número mais reduzido de pessoas.

          Quanto ao programa de uma forma geral é minha opinião que estava equilibrado, claro que algumas talks servem mais um público que outro, mas há sempre algo a tirar de todas e é isso que eu acho incrível, porque nós somos mais valiosos se tivermos conhecimento complementar às nossas áreas e portanto as talks num WordCamp permitem-nos ficar com uma ideia do que se fala no contexto WordPress. Nenhum alinhamento é ideal para uma pessoa, é preciso encontrar um equilíbrio.

          De qualquer das formas é muito importante ter feedback para que o possamos tratar noutras edições e servir melhor a comunidade WordPress que na verdade é a isso que nos propomos.

          • fredericopdg 20 Mai 2015, às 15:00 Permalink | Inicie a sessão para responder

            Olá @ana-aires! Tal como ja disse algumas vezes nestes posts, este feedback refere-se APENAS à pergunta colocado no wordcamp de “o porque de o numero de pessoas não aumentar de ano para ano”. A Minha solução/proposta passaria precisamente por abranger um pouco mais outras áreas para que possa chamar mais pessoas com outro tipo de formação. Só isso. Quando à tua apresentação, para mim serviu perfeitamente e dou-te os parabéns por isso! Como disse, não falo numa perspectiva de “isto ou aquilo não serve para mim” mas sim numa perspectiva de outros profissionais que teriam interesse em ir e aprender um pouco mais contigo sobre o tema de “como começar um WP site ou como ter estas ou aquela funcionalidade de qual a melhor forma (plugins e temas por exemplo)

    • José Freitas 20 Mai 2015, às 14:59 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Todas as opiniões e avaliações são importantes e isto também é fazer comunidade.
      Creio ser também importante clarificar alguns pontos que a maioria das pessoas poderá não conhecer. Aproveito a boleia deste post para isso.
      Organizar um WordCamp significa ter que corresponder a um conjunto de requisitos.
      * Um WordCamp deve ser para todos os utilizadores, por isso deve ter apresentações sobre vários temas e com diferente grau de exigência técnica.
      * Não é obrigatório, no entanto, que todas as áreas do WordPress sejam abordadas.
      * As apresentações são seleccionadas de entre as candidaturas que foram feitas, atendendo aos tais factores aqui indicados. Embora a organização possa, se assim o entender, fazer convites a oradores.
      * Independentemente da exigência mais ou menos profunda dos oradores todas as apresentações devem permitir aos participantes aprender algo.

    • Miguel Fonseca 21 Mai 2015, às 11:14 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Queria deixar a minha opinião relativamente à questão central do @fredericopdg: a da adesão ao evento.

      Acho que o programa do WC está entre os factores de menor peso.

      No meu modelo das coisas, a participação — no WC e na comunidade visível — crescerá tão mais devagar quanto crescer o conjunto dos utilizadores nacionais. Grosseiramente, se este último é capaz de crescer segundo uma exponencial, a participação comunitária é capaz de crescer segundo uma exponencial invertida.

      Discuti isto brevemente com o Nuno Morgadinho. A premissa por trás disto é a de que, à medida que o conjunto de utilizadores cresce — juntamente com a popularidade e o reconhecimento da marca WordPress — erode-se o factor nicho aos olhos dos novos utilizadores (e dos antigos!). IMO, é um mecanismo que faz parte da sociedade; qualquer comunidade que cresça conhece transições — os números aumentam, as dinâmicas mudam, o sangue renova-se — e pode perder a sua frescura para quem espreita de fora.

      Isto não significa, obviamente, que não há valor em tentar compreender e melhorar a adesão ao WordCamp. Mas acho que é algo a ter em mente para evitar expectativas frustrantemente optimistas, bem como evitar ler insucesso onde houve êxito. Da minha perspectiva — a de lurker que lurka pouco 😉 — o evento correu bastante bem.

      Quanto a medidas para melhorar a adesão, não tenho grandes estratégias. Diria que há frutos fáceis de colher em matéria de comunicação: o site do evento, em particular, era capaz de beneficiar com uma rotura com o Twenty Thirteen. Dar menos destaque ao fio de notícias (“página de posts”) e estruturar mais as páginas em termos de conteúdo fixo que vai sendo actualizado à medida que a organização sabe mais pormenores. Considerar mais o impacto inicial à chegada ao site. Talvez explicar o que é e para quem é o WordCamp; na sua forma actual, acho que é fácil uma pessoa que desconhece achar que não se aplica a ela e virar as costas. Tome-se o site do WCEU, por exemplo: https://europe.wordcamp.org/2015/

      • José Freitas 21 Mai 2015, às 11:33 Permalink | Inicie a sessão para responder

        Compreendo o que pretendes dizer mas creio que esse modelo não se aplica, pelo menos da forma enunciada, à comunidade WordPress. Por um aspecto fundamental: o WordPress vive graças à comunidade. A começar no core e a acabar nos utilizadores que só usam o cms para o seu blog pessoal.
        Exemplo: na área de Londres há muitos mais utilizadores WP que em Portugal. Os meetups regulares em Londres têm, por norma, mais de 100 pessoas. Num meetup.
        Uma das principais estratégias para melhorar a adesão passa por todos nós passarmos a ser ‘evangelizadores’ (não gosto muito da palavra mas…) do WordPress. É cativarmos as pessoas para participar. E mostrar que todos temos a ganhar com isso.

        • Miguel Fonseca 21 Mai 2015, às 11:59 Permalink | Inicie a sessão para responder

          Uma das principais estratégias para melhorar a adesão passa por todos nós passarmos a ser ‘evangelizadores’ (não gosto muito da palavra mas…) do WordPress. É cativarmos as pessoas para participar. E mostrar que todos temos a ganhar com isso.

          Sim, sem dúvida.

    • João Rosa 21 Mai 2015, às 11:41 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Estou de acordo com praticamente tudo o que foi dito. Acrescento apenas que o WordCamp é um acontecimento que deve acrescentar conhecimento. Esta premissa apresenta no entanto um desafio grande, temos diversos perfis de utilizador, simplificando temos pelo menos estes 4: developer, designer, produtores de conteúdos, end users. Podem cruzar-se entre eles e até podem existir mais. Dentro de cada um dos perfis temos diversos níveis, iniciado, médio, avançado. É bastante dificil definir um programa que interesse a todos. Sei que é muito dificil, mas talvez fosse interessante em determinados momentos do Wordcamp, termos sessões paralelas direccionadas a cada um destes perfis/níveis. Desta forma penso que conseguiriamos, para além dos temas gerais que interessam a todos, termos mais sessões que acrescentassem muito a cada perfil especifico. Talvez conjugar isto com algumas sessões mais mão na massa, casos práticos, pequenas demonstrações de truques, boas práticas, etc., dadas por craques.

  • José Freitas 19 May 2015, às 13:08 Permalink |
    Etiquetas:   

    O Acordo Ortográfico e a Comunidade Portuguesa de WordPress

    Preâmbulo

    O período de transição da aplicação do Acordo Ortográfico de 1990 em Portugal foi de seis anos, tendo entrado em vigor a 13 de Maio de 2009. A sua obrigatoriedade, como lei, é válida desde 13 de Maio de 2015.

    Vamos ao que interessa

    No Dia do Contribuidor do WordCamp Lisboa 2015 debatemos, além do novo website da comunidade, a futura aplicação do Acordo Ortográfico na tradução dos elementos centrais do WordPress, em concreto o core e o tema por defeito.

    Até ao momento, o WordPress em português (pt_PT) mantém a grafia pré-acordo.

    Com o fim do período de transição, e independentemente das opiniões pessoais, creio que será adequado debater este assunto agora.

    Deve a versão em português (pt_PT) do WordPress passar, a curto / médio prazo (eventualmente a partir da 4.3, a lançar em Agosto), a respeitar o acordo ortográfico?

     
    • Vitor Madeira 19 Mai 2015, às 13:19 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Espero bem que sim.

    • Lopo 19 Mai 2015, às 13:36 Permalink | Inicie a sessão para responder

    • valerio 19 Mai 2015, às 13:56 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Estando ou não num período de transição, é importante olharmos para o futuro das aplicações que o WordPress irá ter. Se um cliente me pedir um site com português do AO o que vou fazer?

      Há espaço aqui para satisfazer duas tomadas de posição, que é a que dá mais trabalho. A comunidade na globalidade poderá querer tomar posição da não adopção do acordo, mantendo um pt_PT pré-acordo, mas acho que deveria existir um pt_PT pós-acordo. Começarmos a trabalhar na tradução pós-acordo, não só estamos a preparar-nos para o futuro (visto que a educação ensina o português pós-acordo), como também nos começamos a habituar às mudanças. Não querendo dizer para mudar a escrita do português, mas para na eventualidade de sermos obrigados a escrevê-lo com AO de já nos sentirmos capazes de o fazer.

      Eu pessoalmente não as sei, só as vendo e começando a praticar é que começo a assimilar. PS: A minha posição para o acordo ortográfico é irrelevante neste comentário.

    • JLuis Freitas 19 Mai 2015, às 14:11 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Acho que independentemente da opinião de cada um, se deve optar o quanto antes pelo AO. Se o ensino já é efetuado com essas bases, daqui a meia dúzia de anos temos os nossos filhos a ver uma internet repleta de erros (sim erros, porque eles não conhecerão a versão pré-AO).

    • Álvaro Góis 19 Mai 2015, às 14:13 Permalink | Inicie a sessão para responder

      A minha sugestão – e aquilo a que gostaria que os developers pudessem dar resposta – seria no sentido de mantermos duas variantes, e dessa forma responder a este “cisma” à maneira do WordPress: dar liberdade ao utilizador de definir qual a versão do português que quer usar.

      A forma técnica como isso será conseguido ultrapassa-me. Discutimos de forma breve a hipótese de o fazer via plugin. Um plugin que substituísse a variante pré-AO90, que existe por omissão na versão pt_PT, pela versão AO90, compilada externamente a partir daquela.

      Qual é a vantagem disto? Eliminava-se a necessidade de manter continuamente duas variantes no GlotPress, continuava-se a ter por omissão a versão pré-AO90, que parece mais amigável para quem traduz há mais tempo, e usavam-se ferramentas que já existem para “corrigir” a ortografia antiga, p.e., o Lince. Isto seria feito assim que saísse nova versão, i.e., assim que estivesse compilada a versão oficial, criava-se esta versão AO90, que depois poderia ser usada via plugin.

      Quem mexe com a parte de línguas do WordPress, em especial o @ze-fontainhas, que nos pode dizer sobre esta hipótese?

    • Pedro Mendonça 19 Mai 2015, às 14:21 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Eu concordo em manter as duas opções em aberto. Sobre a possibilidade de configurar via plugin, pode pensar-se em algo mais abrangente, até porque também existe a variante “informal”.

      Sugestão de funcionalidade dum “Custom Language”: -Permitir utilizar idioma personalizado -Escolher e actualizar automaticamente uma variante do repositório WordPress (p.ex. [pt_PT-pré-AO90], [pt_PT-AO90], [pt_PT-Informal]) -Carregar ficheiros de idioma próprios e bloquar a actualização automática da localização

      Encontrei este plugin que faz o bloqueio das actualizações dos ficheiros de idiomas, pelo que adivinho que não seja difícil replicar esta funcionalidade.

    • robsonjunior 19 Mai 2015, às 15:35 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Uma vez que agora é mesmo obrigatório por lei (ou mesmo que não seja agora, será em 2016 como diz o artigo do Público) penso que já não há mais volta a dar. Não faz mais sentido manter a versão pré-acordo. Para todos os efeitos e por mais que me custe aceitar, esta linguagem passa a ser considerada “errada”.

      Assim, a minha opinião é que devemos adotar a nova grafia pós-acordo e, se a comunidade assim o desejar, manter a partir do 4.3 apenas as duas versões “padrão” e “informal”, ambas no novo acordo.

    • luísbatista 19 Mai 2015, às 15:53 Permalink | Inicie a sessão para responder

      olá.

      acho que a tradução devia respeitar o acordo e que devia ser essa a tradução a sair com novas instalações e actualizações.

      não faz sentido estarmos orgulhosamente sós quando uma grande maioria dos utilizadores da plataforma/nossos clientes avançam, quer por opção pessoal quer institucional. creio que esta solução beneficia mais a comunidade de utilizadores.

      que a versão pré-acordo seja mantida e actualizada acho uma óptima ideia.

    • edewp 19 Mai 2015, às 17:02 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Olá, Sou da opinião, como tambem já foi mencionado, que deviamos manter as duas vias! Uma com AO antigo e outra com AO novo. Pelas mesmas razões já mencionadas como por mais esta: podemos ter clientes à antiga que querem o AO antigo! E nesse caso facilmente atendemos a esses casos.

      Pessoalmente gosto e mantenho o antigo AO, a não ser que seja obrigado! :)

      Abraços, ENO

    • Álvaro Góis 19 Mai 2015, às 17:06 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Ter em atenção que, com as ferramentas actuais, é sempre mais fácil manter uma versão pré-AO90 e convertê-la, antes de cada lançamento, em AO90. O contrário seria um pesadelo, e faz pouco sentido ter as duas em paralelo, porque as diferenças são meramente ortográficas.

      • asturmas 19 Mai 2015, às 17:54 Permalink | Inicie a sessão para responder

        A ideia do plugin seria interessante mas tenho algumas questões. Sempre que o wp for actualizado existiria forma de actualizar a tradução AO90 sem que o user tivesse de ir ao plugin? A conversão seria feita on the fly no site de cada um? Que recursos a nível de cpu e memória isto gasta? Falo nisso porque em amens e afins da vida a coisa pode rebentar.

        De qualquer forma se a ideia era ser on the fly até que ponto isto não será um pouco refazer o trabalho n vezes? Não me parece nada de complicado a comunidade fazer um script para verificar se existe nova versão do WordPress e se sim fazer esse trabalho de conversão e depois o plugin apenas fazer download dele de forma transparente.

      • José Freitas 21 Mai 2015, às 13:49 Permalink | Inicie a sessão para responder

        Por muito que me custe, penso que o correcto será ter a versão AO90 como a versão oficial.

    • kareca 19 Mai 2015, às 18:06 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Respondendo ao “bold”, sim, claro. A versão pt_PT tem de respeitar o acordo.

    • Malik Piarali 19 Mai 2015, às 18:11 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Concordo em manter as duas versões se não der muito trabalho. A versão pré-acordo vai deixar de entrar em vigor e um dia entrará, com certeza em desuso. Mesmo que esse dia demore 1 ou 2 anos a chegar. É inevitável.

    • Luís Miguel Sequeira 19 Mai 2015, às 18:17 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Oh pá, cuidado com as citações e rumores fora de contexto. «A sua obrigatoriedade, como lei, é válida desde 13 de Maio de 2015.» Não é verdade, embora a comunicação social tenha noticiado isso desta forma. — http://www.publico.pt/portugal/noticia/o-acordo-ortografico-de-1990-nao-e-obrigatorio-a-partir-de-13-de-maio-de-2015-1695336

      Seja como for, o que se passa é que aquilo que as pessoas chamam vulgarmente de «AO90» é o resultado da decisão de uns programadores que fizeram o Lince e que arbitrariamente decidiram, baseado na sua interpretação pessoal, quais das regras aplicar e quais ignorar (nomeadamente, todas as regras facultativas são consideradas como obrigatórias…). Infelizmente, é o Lince que é utilizado pela administração pública e restantes organismos do Estado para «converter» o português para «lincês», fazendo-o passar pela ortografia correcta…

      Ora como é certo que haverá utilização do WordPress por parte de organismos do Estado (basta pensar nas escolas), o que faz mais sentido mesmo é manter a versão actual, tal como está, e convertê-la via Lince em «lincês», seja via plugin, seja via qualquer outra coisa, e manter as duas em paralelo.

      Isto porque ainda não chegámos ao fim desta guerra. Vai haver um dia que alguém mais influente que eu irá notar que o Lince não respeita, de facto, o AO90. Depois virá um Lince 2.0, um Lince 3.0 e assim por diante, e à medida que vão surgindo novas versões, o «lincês» irá ser sucessivamente revisto. Estar a manter o pt_PT dessa forma — com palavras «convertidas» conforme a versão do «lincês» que esteja correcta no momento — será uma catástrofe.

      Melhor, isso sim, é manter o pt_PT tal como está e ter um pt_AO90 que seja obtido por conversão com a última versão do Lince (seja via plugin, seja de outra forma qualquer). Assim satisfazem-se todas as partes — ninguém poderá acusar-nos de estarmos a usar a última versão do Lince, e, sempre que sair uma versão nova, corre-se o conversor de novo, em vez de estar manualmente à procura, palavra a palavra, a ver qual é a grafia correcta no momento…

      Nota: o Lince já vai na versão 1.2.12. Isto só mostra como a língua portuguesa já evoluíu várias vezes desde 1990 :-)

    • Zé Fontainhas 19 Mai 2015, às 18:17 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Sem opinar directamente (see what I did there 😛 ?) sobre o AO ou não-AO, queria só deixar claro que não é boa ideia assumir aqui qualquer tipo de plataforma tecnológica de distribuição de idiomas: já existe uma e que é discutida no P2 dos poliglotas e respectivo canal de Slack (#polyglots). Não sei se há planos para incluir nessas rotinas versões alternativas de um idioma, mas havendo ou não, e já que parecemos ter essa necessidade, era capaz de ser melhor ideia participar mais activamente na discussão desse aspecto específico nesses canais antes da andar aqui a reinventar a roda…

      • Álvaro Góis 19 Mai 2015, às 20:44 Permalink | Inicie a sessão para responder

        Já deixei um pedido de ajuda nos Polyglots. Ainda lá andas? Acompanha a coisa p.f. [Editei o teu link, estava a mandar para 404…]

      • Álvaro Góis 20 Mai 2015, às 10:49 Permalink | Inicie a sessão para responder

        Consegues dar uma vista de olhos @ze-fontainhas? Não tive qualquer feedback e a entrada que deixei no P2 do Polyglots não aparece.

      • Álvaro Góis 20 Mai 2015, às 13:13 Permalink | Inicie a sessão para responder

        Também deixei uma entrada no #polyglots do Slack.

        Hi. I’m new to the Polyglots slack. I’m Alvaro, from Portugal, validator for the Portuguese pt_PT language. I left a post to Polyglots P2 yesterday about a problem we’re facing with variants. Portuguese has no formal variants in Portugal, therefore I believe there’re no ISO codes that can be used to consider variants for the Portuguese Language Orthographic Agreement of 1990, which is being politically imposed. So we’re in need of a solution to have variants in WordPress’ Portuguese language packs. One that can help us to manage parallel translations, since there’re users and institutions who just have to use the new orthography, and (a majority of) users who refuse this reform and still hope it to be suspended and reversed. This is an urgent ongoing discussion right now, and something we’ve been long avoiding. We expected the changes in the way WordPress handles languages would make it easy, but I still can’t figure how to do it. Can anyone here give us a hint on how to address this issue? Thanks.
    • Álvaro Góis 20 Mai 2015, às 15:53 Permalink | Inicie a sessão para responder

      As questões que coloquei no P2 dos Polyglots aqui: https://make.wordpress.org/polyglots/2015/05/19/hi-polyglots-im-a-validator-of-the-portuguese/

      No trac já há alguma coisa sobre isto, mas sem grandes avanços: https://core.trac.wordpress.org/ticket/28303

      A minha inclinação actual, corrijam-me, ó senhores do código, se for demasiado fora-da-box:

      Este plugin https://wordpress.org/plugins/wptb-language/ faz o que agora temos incorporado no próprio core: carrega línguas do repo SVN do WordPress. Os meus amigos developers não conseguiriam pôr isto a ir buscar os ficheiros a outro repo? Podem usar os ficheiros de pt_PT informal para testar, p.e., aqui: https://translate.wordpress.org/projects/wp/dev/pt/informal WordPress.org WPTB Language With this plugin you can easily switch the WordPress language. It will download and install the language files from the WP Repository as needed. O plugin tem 7Kb
    • José Freitas 21 Mai 2015, às 11:04 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Apesar de ter lançado o debate não emiti ainda a minha opinião. É agora.
      Como entidades vivas, as línguas também sofrem evoluções. Nada tenho contra isso. É algo natural e inevitável. Não foi isso, no entanto, o que aconteceu com o AO.
      Os responsáveis procuraram impor um caminho à língua portuguesa, promovendo adaptações forçadas em nome de uma uniformização que não existe, não é necessária e nunca será alcançada.
      Não gosto do AO.
      Apesar de ser contra, a sua aplicação parece-me inevitável. Não interessa se o período de transição já terminou ou vai terminar.
      O que interessa é que o AO está a ser ensinado nas escolas há diversos anos àqueles que serão os futuros utilizadores do WordPress.
      O que interessa é que as empresas estão ou vão utilizar o AO.
      O que interessa é que cada vez mais pessoas seguem a mesma linha.
      Não sabemos se haverá alguma inversão a curto – médio prazo. Não creio que haja. Não podemos, no entanto, é estar a contar com o ovo no rabiosque da galinha.
      As nossas opções pessoais são isso mesmo, pessoais. O que cada um faz ou irá fazer fica ao seu critério individual.
      Enquanto comunidade, penso que temos de actualizar o WordPress em pt_PT para o AO.
      A existência de uma alternativa, uma versão pré-AO, tal como existe a versão informal, será uma questão de vontade, por um lado, e de disponibilidade para a manter, por outro.
      Creio que a curto e médio prazo não haverá uma forma de a poder instalar através do core. A alternativa é faze-lo via ftp ou, de preferência, via plugin, se alguém tiver disponibilidade para o fazer.

      • Marco Pereirinha 21 Mai 2015, às 11:26 Permalink | Inicie a sessão para responder

        Haverá novidades em relação a este assunto muito brevemente. Eu e o @alvaro-gois estamos a preparar uma solução que passa por um plugin. Este permitirá seleccionar uma tradução alternativa (PT pré AO e o PT informal), e que será mantida pela CPWP. A cada nova release do core, as traduções poderão tb ser atualizadas sendo portanto simples a manutenção de instalações WordPress com traduções pt_PT alternativas.

        • Pedro Mendonça 21 Mai 2015, às 11:32 Permalink | Inicie a sessão para responder

          Excelente @marco-pereirinha :) Obrigado e bom trabalho.

        • Álvaro Góis 21 Mai 2015, às 11:35 Permalink | Inicie a sessão para responder

          Se resultar… o que, tendo em conta o nível da equipa, não deve criar muitas dúvidas 😛

          Entretanto, um alerta: enquanto existir este cisma – apesar de tudo continuamos numa situação de indeterminação relativamente ao AO90 –, a minha sugestão é no sentido de manter a versão pré-AO90 no GlotPress, porque para já é mais fácil geri-la e transpô-la para AO90 do que a inversa.

          Tenhamos em mente que, assim como a falta de uma versão AO90 pode inibir a adesão a algumas pessoas/instituições, a inversa também se aplica.

          Manter duas versões desligadas parece-me irrealista e, do ponto de vista da produtividade, absurdo. Porque na versão AO90 existe apenas uma variação ortográfica, que pode ser gerida quase automaticamente.

          Se a versão no GlotPress passar a ser exclusivamente AO90, então esta solução plugin deixa de poder ser aplicada, porque não temos nenhuma forma, que eu conheça, de inverter a ortografia. A menos que alguém conheça uma, e aí já poderia fazer algum sentido, uma espécide de Antilince.

      • luistinygod 22 Mai 2015, às 10:48 Permalink | Inicie a sessão para responder

        Concordo com o José. Parece-me que o AO é incontornável e irreversível, e sendo irreversível, deve ser tido em conta na versão “oficial” pt_PT.

  • Celso Azevedo 18 May 2015, às 20:31 Permalink |  

    Olá pessoal,

    Estou a traduzir o plugin EWWW Image Optimizer e surgiram-me algumas dúvidas.

    • Em alguns casos pode fazer sentido usar “PNGs” ou “JPGs” em vez de “PNG” ou “JPG”:

    “Pngout is free closed-source software that can produce drastically reduced filesizes for PNGs, but can be very time consuming to process images”

    Embora o guia de tradução diga que não devemos adicionar “s” a acrónimos, neste caso especifico devo ignorar a sugestão?

    • Como não posso testar toda a tradução porque algumas coisas apenas são usadas quando o EWWW está integrado com outros plugins, há o risco de alguma tradução fazer menos sentido em certos contextos. Devo traduzir apenas aquilo que tenho a certesa que está a ser bem traduzido (deixando partes em inglês) ou traduzir tudo e correr esse risco?

    • Qual é a melhor tradução para:

    — Cloud (ex: cloud optimization, cloud api key, etc) — Scan e Scanning (ex: scan folder) — Full size (creio que é usado para se referir as imagens/tamanhos originais) — Skipped image — API Key — Range of colors (gama de cores?) — Metadata — Rewriting (ex: Alternative WebP Rewriting) — re-optimization (re-otimização, certo?) — file path (ex: could not retrieve file path)

    Como este é o primeiro plugin que traduzo e porque já estou há alguns anos fora de Portugal, é possível que algumas coisas estejam mal traduzidas. Se tiverem um tempinho livre podem ver ou ajudar na tradução aqui:

    Obrigado desde já. Celso

     
    • Álvaro Góis 18 Mai 2015, às 20:46 Permalink | Inicie a sessão para responder

      “Em alguns casos pode fazer sentido usar “PNGs” ou “JPGs” em vez de “PNG” ou “JPG”…” Não Celso, não é uma sugestão, é uma regra. Em português os acrónimos não se pluralizam. Portanto, os PNG e os JPG.

      “Devo traduzir apenas aquilo que tenho a certesa que está a ser bem traduzido (deixando partes em inglês) ou traduzir tudo e correr esse risco?” Se não tens a certeza de como deves traduzir, seja por falta de contexto seja porque a string é difícil de compreender, julgo que talvez seja mais prudente não a traduzires. Porquê? Porque é mais fácil localizar uma string não traduzida do que uma mal traduzida. Se alguém pegar no trabalho de tradução, começará, tendencialmente, pelas strings não traduzidas.

      • Cloud (ex: cloud optimization, cloud api key, etc): eu optaria por manter cloud, nuvem ainda não é um termo consolidado
      • Scan e Scanning (ex: scan folder): examinar, podes usar em ambas as acepções, “examinar” e “a examinar”
      • Full size (creio que é usado para se referir as imagens/tamanhos originais): no WordPress usamos “tamanho original”
      • Skipped image: eu diria “imagem ignorada”
      • API Key: chave de/da API
      • Range of colors (gama de cores?): sim, normalmente aplica-se “gama de cores” ou “escala de cores”, depende do contexto
      • Metadata: “metadados”?
      • Rewriting (ex: Alternative WebP Rewriting): “reescrita”?
      • re-optimization (re-otimização, certo?): “reotimização” parece bem (se seguires o AO90)
      • file path (ex: could not retrieve file path): “localização”, embora não seja tradução literal, por norma resulta bem, como em “localização do ficheiro”
  • José Freitas 18 May 2015, às 10:22 Permalink |
    Etiquetas:   

    Meetup WordPress Porto

    Está previsto para 28 de Maio o próximo Meetup WordPress do Porto.
    Em foco vão estar dois temas:
    * Os preços de projectos WordPress praticados por empresas e/ou freelancers
    * Os desafios deixados pelo WordCamp Lisboa

    O Meetup voltará a realizar-se no Café da Praça, em Matosinhos, aproveitando o fim da festa do Senhor de Matosinhos.

    Se nada houver a obstar será anunciado nos próximos dias como evento da comunidade.

     
c
compor novo artigo
j
próximo artigo/próximo comentário
k
artigo anterior/comentário anterior
r
responder
e
editar
o
mostrar/esconder comentários
t
voltar ao topo
l
iniciar a sessão
h
mostrar/esconder ajuda
shift + esc
cancelar