Com as etiquetas: plugins Mostrar/esconder comentários | Atalhos de teclado

  • Vitor Madeira 22 May 2016, às 10:14 Permalink |
    Etiquetas: , , neutralidade., plugins, ,   

    Acordo ortográfico de 1990 – A comunidade não pode ser nem a favor nem contra!

    [Venho agora do Slack precisamente porque por lá estou a receber constantes notificações que me dizem que as mensagens mais antigas não estarão disponíveis (provavelmente porque sou um utilizador não pagante do Slack) que achei por bem trazer isto para aqui, nem que seja, só para servir de arquivo.]

    A questão do Acordo Ortográfico de 1990 não deveria tratada por parte dos membros com responsabilidades aqui na comunidade como uma questão de “acho bem” ou “acho mal”. Não deveriam existir fações que representem os que defendem ou os que criticam.

    Dou um exemplo: Sou totalmente a favor da liberdade, respeito e direitos de todas as minorias de pessoas na nossa sociedade. Contribuo bastante para a tradução (principalmente de Plugins porque o Núcleo está todo traduzido) No entanto, sei que boa parte do meu trabalho também poderá ser utilizado por grupos de utilizadores de WordPress que defendam pontos de vista contrários ao meu (os religiosos evangélicos que levam os “santos” domingos a afirmar que os gays merecem o inferno, os neo-nazis que levam os “santos” dias úteis a afirmar que os negros, os ciganos e tantos outros são cidadãos de segunda, entre tantos outros tristes exemplos…)

    Mas a comunidade de tradutores (e de todos os que ajudam a gerir o WordPress em língua portuguesa), traduzem (e trabalham) quer para os que, como eu, defendem os direitos da minorias, quer dos que são de opinião contrária, porque esses também podem fazer download do WordPress e das traduções disponibilizadas pela comunidade e passar a utiliza-las.

    Se existe tecnologia que nos pode ajudar a tornar as coisas o mais neutras possíveis, essa tecnologia deve ser colocada ao serviço da comunidade (e não de quem está a favor ou contra o argumento central)

    Querem ver ao ponto absurdo em que se está a chegar neste tema de batalhar contra o acordo ortográfico nas traduções do WordPress? Eu faço ver o meu ponto de vista:

    Por imperativo profissional, necessito de ter todos os conteúdos dos projetos em que estou a trabalhar com a ortografia segundo a norma de 1990. Venho pedir auxilio aqui porque me dizem que é aqui que se deve pedir auxilio, mas o que recebo é… Enfim, negas e mais negas e argumentos contra o acordo.

    Por favor, reparem que eu não quero debater se o acordo é bom ou se é mau. Eu necessito de trabalhar. Não quero estar à mercê quer dos que defendem, quer dos que criticam. Necessito de estar ao lado de quem quer trabalhar e encontra no WordPress uma ferramenta fenomenal para o efeito.

    AGORA A CONTRADIÇÃO

    Sabiam que existem duas versões da língua portuguesa para traduzir o WordPress? (“Português” e “Português Informal”)

    Ora, sucede que o “Português” é aquele onde as coisas têm vindo a ser trabalhadas por todos, quer os que necessitam de ortografia de 1990, quer dos que preferem a anterior.

    E então o “Português Informal”?

    Não sei! Mas pelo que vejo, ajuizando pelo nível de strings não traduzidas na maior parte dos plugins, bem como a cópia/cola entre muitos casos de “Português” para “Português Informal”, parece que também ninguém faz ideia para que servirá aquilo… (nem os ‘necessitados’, nem os críticos do acordo…)

    Mas já pensaram bem que poderia ser útil tornar esse “Português Informal” numa ferramenta ao serviço de quem se vê a braços de necessitar da norma de 1990 e verificar que não tem nada que lhe sirva de ajuda?

    Críticos do acordo: Vão ‘bater’ em quem faz as leis e não em quem necessita de trabalhar segundo o que as leis ditam.

    Eu não sou legislador, sou cidadão de uma república que aprova leis e me obriga a segui-las, inclusivamente para poder manter o meu posto de trabalho e assim receber o meu vencimento ao fim do mês. Quanto mais não seja, considerem isso. Obrigado.

     
    • Vitor Madeira 22 Mai 2016, às 11:01 Permalink | Inicie a sessão para responder

      No Slack o Álvaro Gois e o Pedro Mendonça indicaram que a intenção da versão “Português informal” era a de disponibilizar uma versão que permitisse a quem pretendesse, ter um modo de tratamento mais informal para com os visitantes dos seus projetos, usando “tu” em vez de “você”.

      Mas fui verificar, e, as strings não estão minimamente convertidas…

      Temos então o seguinte ponto de situação: – Uma tremenda parte de profissionais que usam WordPress necessitam de ter os seus projetos com ortografia segundo a norma de 1990 e apenas dispõem do plugin “PT Variants” (que, para todos os efeitos, apenas ajuda na questão da conversão para a ortografia de 1990 no que respeita ao núcleo do WordPress **e não ao que respeita às strings dos plugins e temas!***)

      E se formos a consultar o andamento da versão “Português informal”, podemos facilmente concluir que não está ao serviço de ninguém. Nem dos que necessitam do “tu” em vez do “você” (porque aquilo está quase tudo como uma cópia integral da tradução “Portugal” com os respetivo “você” todos no mesmo lugar) nem de quem necessita de poder ter uma tradução com ortografia segundo a norma de 1990 diretamente logo nas strings do núcleo do WordPress, bem como nas strings dos plugins e temas.

      Para quem não percebe do que estou a escrever, isto é assim: O plugin “PT variants” (que é uma valiosa ajuda para quem como eu, necessita de ter a ortografia pós 1990 nos seus projetos) apenas serve para obtermos o texto das palavras do núcleo do WordPress, o que exclui logo o texto dos plugins bem como dos temas.

      Se tivermos uma “lingua” disponível para podermos utilizar a ortografia de 1990, então, o trabalho é só um: – Escolhemos essa língua para o nosso WordPress e pronto.

      Se mantivermos as coisas tal como elas estão, então, necessitamos de instalar o (valioso por enquanto) plugin “PT Variants” para o núcleo e depois estar a traduzir os plugins e temas um a um.

      Se mantivermos as coisas tal como elas estão, teremos também esta sensação de olhar para o pacote de língua “Português informal” ali, vazio, sem estar a servir seja quem for…

      Nota muito bem – Não quero com isto dizer que o projeto de linguagem “Português informal” é para acabar. Quero antes dizer que, se existiu força e vontade para criar uma linguagem que poucos ou nenhuns utilizam, também deveria ser disponibilizado um pouco de energia para criar uma linguagem que tantos responsáveis por projetos em WordPress se vêm na necessidade de utilizar, mas que, não têm ao seu dispor.

      Seria interessante obter a neutralidade devida por parte de quem de direito aqui na comunidade para verificar que as coisas segundo este ponto de vista não são apenas a vontade de uma única pessoa, e começar a tomar decisões que possam permitir muitos de nós poderem estar dentro daquilo que a lei exige.

      (e peço até a especial atenção por parte dos que são contrários ao conceito de ortografia pós 1990, é que, com este tipo de implementação, eu não estou a criticar a vossa posição. Batalho ao vosso lado para que possam sempre ter a devida liberdade de poderem afirmar as vossas opiniões, mesmo sabendo que eu próprio posso não estar de acordo convosco, mas isto que proponho é, fundamentalmente, apenas um pedido de (“mais”) neutralidade nesta questão, tratamento igual para com os que desejam ter o tal “português informal” e viver em paz e harmonia convosco no seio da comunidade WordPress.)

      Obrigado.

      • Nuno Morgadinho 25 Mai 2016, às 11:24 Permalink | Inicie a sessão para responder

        Os teus pontos principais parecem ser: 1) devia haver uma neutralidade de opinião por parte da comunidade em relação ao AO e 2) devia haver um suporte melhor para quem necessita ter a tradução de acordo com a norma de 1990. Em relação ao primeiro ponto é preciso perceber que não existe uma entidade “comunidade” com posições oficiais. A comunidade é um grupo de pessoas e cada pessoa dá a sua opinião o que é normal. A maneira como a comunidade deve ou não lidar com questões não cabe a ninguém em específico decidir, tal como em qualquer projeto open-source o que vale é quem faz alguma coisa. Em relação ao segundo ponto o que tens a fazer é liderar um esforço para que o suporte seja melhorado. Senão existe faz, se já existe algo, melhora.

        • Vitor Madeira 27 Mai 2016, às 10:14 Permalink | Inicie a sessão para responder

          Pois, com efeito, tenho andado com algumas dificuldades em compreender no concreto, o que será “a comunidade”. Para umas coisas, parece ser um “grupo de pessoas agregadas em torno de um mesmo assunto.” (nada a declarar) Para outras, parece que tem um site “oficial da comunidade” (é o que leio em http://www.wp-portugal.com : “É o site oficial da Comunidade Portuguesa de WordPress, uma organização informal que procura divulgar e contribuir para a utilização e desenvolvimento do WordPress em Portugal.”)

          Pronto, mas não quero bater mais nesse ‘ceguinho’ porque acabo por levar mais na carola por não compreender o que tenho que compreender (sem que me seja explicado…)

          Sobre o segundo ponto, pois, estou de acordo. Não quero minimamente que fiquem com a ideia de que quero apenas vir mandar ‘bitaites’ e cruzar os braços. Quero participar, tornar-me útil e fazer coisas, quer as que não existem ainda, quer ajudar a melhorar as que já existem.

  • Rúben Martins 26 May 2015, às 17:10 Permalink |
    Etiquetas: plugins, ,   

    Estou a fazer algumas traduções no transifex para alguns plugins do WP-Translations.org em pt_PT. Com isto costumao receber aprovação das mesmas? pois não existe reviewers.. somente um team manager/cordinnator

    https://www.transifex.com/projects/p/user-role-editor/language/pt_PT/

    Pergunto isto porque quero saber se vale apena fazer as traduções uma vez que por exemplo no plugin user-role-editor ainda nem uma tradução foi aprovada e já vai a 50% traduzido.

     
    • Tomé Mendes 26 Mai 2015, às 17:36 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Por experiência própria recomendo-te sempre a analisar bem os plugins que traduzes, datas das ultimas aprovações etc… Há por ai muito plugin interessante à espera de ser traduzido. Não percas tempo com plugins que são apenas colocados no Transifex à espera que alguem os traduza. Se possível entra também em contacto direto com o owner para saber mais detalhes.

      Atenção: Não quero dizer que seja o caso deste plugin, mas a verdade é que há mesmo muitos plugins que só são colocados em plataformas como Transifex na esperança de que alguém lhes toque.

      Qualquer coisa apita 😉

      • Pedro Mendonça 26 Mai 2015, às 17:40 Permalink | Inicie a sessão para responder

        Concordo, o idioma pt_PT WP-Translations do Transifex como está gera alguma confusão. O coordenador da equipa é o fxbenard (francês), não há revisores atribuídos para o nosso idioma. Não são raras as vezes em que encontro traduções incoerentes com a terminologia adoptada pelo core do WordPress. O contacto directo ou via github é bem mais eficaz. De qualquer modo não seria mal pensado propor os actuais revisores do Polyglot para revisores desta equipa no Transifex, até porque na sua maioria já lá estão.

    • José Freitas 26 Mai 2015, às 17:39 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Pelo que estive a ver, a equipa tem um coordenador, fxbenard, e não tem revisores. Tenta contactar o coordenador. Creio que as línguas dele são o francês e o inglês. Logo, creio que ele terá de indicar um revisor para o português.

      • valerio 26 Mai 2015, às 17:47 Permalink | Inicie a sessão para responder

        Eu conheço o fxbenard, trabalha connosco no MailPoet no Transifex. Envia-lhe uma mensagem mesmo por lá que ele é rápido a responder.

    • Rúben Martins 26 Mai 2015, às 17:47 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Pois já entrei em contacto com o coordenador para sugerir adicionar revisores ao pt_PT de forma a ser mais pratico não só para ele mas para as traduções em pt_PT que vejo tantas instalações de sites pt_PT com plugins em puro ingles e a nossa comunidade acho que tem capacidade para aqui e ali ir contribuindo nas traduções de forma a deixar a nossa marca como pt_PT

      E sim tenho conhecimento do polyglot e costumo lá ir contribuir https://profiles.wordpress.org/rubenmartins/ mas à muitos plugins que lá não estão :/ e por acaso agora descobri alguns no transifex mas depois de traduzir cerca de metade do user role editor fiquem desmotivado quando vi que era somente um coordenador o mesmo plugin ainda nao tinha nenhuma tradução revista pelo mesmo :/

      Se obtiver resposta do coordenador aviso.

  • Pedro Mendonça 21 May 2015, às 14:54 Permalink |
    Etiquetas: , , , plugins, ,   

    Tradução de temas e plugins

    Depois de conversar com o @alvaro-gois-dos-santos e com @jose-freitas no #wclx15 e no slack, julgo que esta questão pode beneficiar dum debate mais alargado na comunidade.

    Actualmente a tradução do core e dos projectos do WordPress está centralizada na página da equipa de tradução pt_PT do próprio WordPress.

    A tradução de temas e plugins é naturalmente feita em contacto directo entre os respectivos autores e os tradutores, nas suas plataformas próprias. Cada um de nós que já traduziu um tema ou plugin, para fazer um bom trabalho, deverá conhecer o WordPress e a sua terminologia própria, comparando constantemente com os ficheiros de localização do próprio core (frontend e backend).

    Penso que haverá um enorme benefício para as versões portuguesas de temas e plugins se este trabalho individual for cruzado e debatido. No caso dos temas parece-me que o benefício é mais limitado, mas no caso dos plugins, há muitos que são instalados por uma grande maioria de utilizadores portugueses.

     

    Como fazer isto em comunidade?

    No meu processo individual de tradução, sempre que possível utilizo o GitHub para manter os meus ficheiros de tradução sincronizados com o repositório do autor. Com alguma frequência é necessário corrigir um bug relativo à tradução, a falta dum textdomain, ou submeter uma outra qualquer alteração à própria string. O processo individual tem esta vantagem.

    Em comunidade será bastante mais complexo manter uma base material a traduzir.

    Deverá a comunidade fazer um fork do repositório completo ou manter apenas uma cópia sincronizada do catálogo .pot do repositório do autor? Por vezes nem um .pot existe ou não está actualizado, há situações em que só existem os respectivos ficheiros .po/.mo, ou pior ainda, alguns repositórios têm apenas disponíveis os ficheiros .mo obrigando a que o tradutor mantenha o seu próprio ficheiro master .po.

    Há autores que delegam em comunidades do Transifex a tradução dos seus temas/plugins, o que torna demasiado frequente encontrar traduções feitas por profissionais, mas sem conhecimento das terminologias próprias adoptadas pelo WordPress em português, já para não mencionar traduções automatizadas via google.

    Aquilo que penso ser viável é pensar no processo que cada um de nós já utiliza individualmente e traduzi-lo para a comunidade, deixando naturalmente de fora os processos de debug.

    Seria possível manter um repositório de traduções da comunidade WP-Portugal, onde se poderiam incluir as traduções que já foram feitas por cada um de nós. A dificuldade poderá existir em manter sincronizado o tal .pot que por vezes não existe, mas também não é difícil de criar. Por fim, a tradução concluída poderia ser submetida ao autor do tema/plugin, com a validação da comunidade.

    Na minha transposição do processo individual para a comunidade parece-me facil via GitHub, mas acrescento por sugestão do @alvaro-gois-dos-santos a possibilidade duma instalação GlotPress próprio da comunidade, onde se centralizaria este trabalho à imagem do que é feito no Polyglots do core como mencionado acima. Uma vantagem desta última sugestão é os tradutores não precisarem de qualquer conhecimento de Git, o que aumenta consideravelmente a quantidade de possíveis tradutores.

    Não sendo programador, convido todos os que se interessem por este tema a pensar num processo de automatizar a sincronia destas traduções com os repositórios dos autores. Julgo que haverá forma de notificar a existência de novas strings para traduzir com algo como o GlotPress Notify.

    Resumo do processo:

    • Adicionar tema/plugin à plataforma
    • Traduzir em comunidade
    • Submeter/sincronizar com o repositório do autor

    O convite à tradução de plugins e temas abre outras discussões periféricas, como a lista do que deve ser traduzido, os opensource vs comerciais, contrapartidas, a atribuição duma qualquer validação pela equipa de tradução da WP-Portugal, a manutenção manual ou automatizada do glossário, etc.

    Embora eu prefira traduzir projectos por natureza abertos à comunidade, esta lista ou escolha de material a traduzir parece-me perfeitamente orgânica, os que reunirem mais interessados serão naturalmente os mais acompanhados pela comunidade de tradutores.

    Sem que este tópico se sobreponha à tradução do próprio core, espero que este debate ajude a optimizar nosso esforço individual enquanto tradutores que mantêm alguns temas/plugins, para que este trabalho não se perca e todos ganhem.

     
  • Álvaro Góis 13 Oct 2013, às 20:39 Permalink |
    Etiquetas: plugins, , ,   

    FYI: http://wp-translations.org/

     
  • jopemina 24 Aug 2013, às 11:53 Permalink |
    Etiquetas: plugins   

    Boa tarde a todos, sou novo por aqui por isso peço que não me batam muito. Estou a procura de um plugin que me permita ter um grupo de utilizadores e um post ou página só fique disponível para esse determinado grupo de utilizadores. Alguém conhece alguma coisa?

    Cumprimentos.

     
  • wolfy_ 4 Sep 2012, às 16:19 Permalink |
    Etiquetas: , plugins,   

    Olá, estava a navegar na net e descobri que existem plugins que pedem a colaboração para traduzir para outras línguas. Por sugestão do Zé vim divulgar uma ideia.

    Já reparei que têm diversas traduções na coluna lateral para ajudar a traduzir. Que tal começar a ajudar a traduzir plugin’s populares para a nossa língua portuguesa?

    Um dos plugins que encontrei para traduzir foi o WordPress SEO do yoast http://translate.yoast.com/projects/wordpress-seo

    Mas de certeza que existem mais plugins que aguardam a nossa tradução. Que acham da ideia?

     
    • Zé Fontainhas 4 Set 2012, às 16:25 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Boa. WP e-Commerce (plugin) aqui: http://languages.getshopped.org/projects StudioPress (temas) aqui: http://translate.studiopress.com/home/
    • miguelcortereal 4 Set 2012, às 18:35 Permalink | Inicie a sessão para responder

      A propósito disso também traduzi o bbPress, ainda não lhe fiz uma revisão mas está sensivelmente nas mesmas condições que o BuddyPress, tenho estado a guardar essa revisão para daqui a um tempo onde vou usá-lo num site que vai ser restruturado. Dentro de pouco tempo vou ter também a tradução completa do tema Suffusion, e do plugin Another WordPress Classifieds
    • Álvaro Góis 5 Set 2012, às 14:56 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Muito interessante. Eu tenho agendada a tradução do WooDojo. E contribuo regularmente para a tradução do Wysija. Tenho traduções desatualizadas de muitos outros plugins. O que propões é algum tipo de plataforma/repositório dessas traduções? Era giro. Os tipos do Wysija começaram agora a trabalhar com uma plataforma de tradução online que é o Transifex, mas a tradução online ainda me causa algumas dificuldades. Prefiro o meu ficheiro local, trabalhar sem rede e tal… Mas para colaborar, é claro que online é outra loiça.
    • miguelcortereal 5 Set 2012, às 17:10 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Eu acho que a melhor solução seria realçar o assunto das traduções no site da comunidade Portuguesa do WordPress, metendo lá uns tutoriais a ensinar a fazê-las passo a passo e ensinar a pô-las a trabalhar. Esses tutoriais mencionariam o glossário de termos e os restante critérios básicos. Quem anda por estas andanças na nossa língua acaba sempre por alguma vez cair lá no site, e dos que caem alguns haverão de ter a necessidade de ter traduções que ainda não existem. A partir daí o local melhor para colocar essas traduções são os próprios temas ou plugins, eu já entreguei várias traduções de temas e plugins aos autores, que neste momento acompanham os respectivos e portanto directamente acessíveis no local certo a quem precisar. Quanto à qualidade que possam ter não há muito a fazer terão que os autores zelar por ela ou então quem não gosta que mude a seguir. Quanto ao software base do WordPress que está bem descrito na barra lateral daqui do site logo por baixo dos comentários recentes penso que seja aí que deva estar a preocupação. Em suma, a minha opinião era que se fizessem uns tutoriais a serem colocados no site da comunidade Portuguesa do WordPress para estimular o aparecimento de traduções já incluídas nos próprios temas e plugins.
    • Álvaro Góis 28 Set 2012, às 10:20 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Obrigado Miguel. O ficheiro está numa dropbox e deixei o link acima.
  • Vitor Carvalho 8 Mar 2012, às 15:20 Permalink |
    Etiquetas: API, Cache, , plugins, Transient   

    Para developers de plugins e temas com aplicações, vocês conhecem esta API? http://codex.wordpress.org/Transients_API

    Eu tenho usado a Transient API em vários plugins meus para guardar resultados na base de dados, do tipo cache.

    Fica apenas a sugestão de uma forma rápida de fazer cache a resultados que podem consumir muitos recursos. 🙂

     
  • Vitor Carvalho 17 Oct 2011, às 12:20 Permalink |
    Etiquetas: dynamic sidebars, dynamic_sidebar, dynamic_sidebars, plugins,   

    Olá a todos,

    Gostava de vos mostrar o meu novo plugin, chama-se “Dynamic Sidebars” e aquilo que ele faz é basicamente “copiar” o sistema de módulos do Joomla a aplicá-lo nas Sidebars the Widgets. No Joomla podemos colocar módulos (Widgets) em qualquer lugar e criar novas posições. Basta chamar o shortcode {{load_position}} e todos os módulos configurados para essa posição são mostrados.

    Basicamente este plugin faz o mesmo, mas em vez de módulos temos Widgets e em vez de positions temos Sidebars.

    Este plugin: · Possibilita a criação de novas sidebars e gestão das sidebars já criadas a partir da administração; · Selecionar especificamente para cada página ou post que sidebars queremos que apareçam; · Criar, apagar renomear sidebars quantas vezes se queira através da administração; · Fazer o load de sidebars directamente no editor the posts usando um shortcode;

    O centro deste plugin é a função dynamic_sidebars() que, colocada nos templates, irá permitir aos editores usarem esta funcionalidade. Existe também a shortcode [load_sidebar] que possibilita carregar uma sidebar dentro do conteúdo. Para os mais prós, existe o filter ‘dynamic_sidebars_post_types’ para que se possa filtrar que tipos de posts poderão ter esta funcionalidade.

    Este plugin irá ser colocado no extend quando estiver maduro, mas para isso precisava da contribuição da comunidade para ajudarem a testar este plugin. 🙂 Eu tive sucesso em WordPress 3.2 sobre LAMP mas acho que seria bom testar noutras plataformas e configurações.

    Aqui está o link com mais explicação e o download do plugin: http://vcarvalho.com/wordpress-plugins/

    Um abraço a todos e desde já obrigado!

     
  • Dinis Correia 9 May 2011, às 0:07 Permalink |
    Etiquetas: plugins   

    Viva.

    Nova questão: há um bug no plugin (oficial) de importação do Blogger. Nos fóruns, alguém solucionou o problema (passa apenas por acrescentar uma condicional a uma função do plugin).

    Há alguma forma de “empurrar” este fix num update ao plugin?

     
c
compor novo artigo
j
próximo artigo/próximo comentário
k
artigo anterior/comentário anterior
r
responder
e
editar
o
mostrar/esconder comentários
t
voltar ao topo
l
iniciar a sessão
h
mostrar/esconder ajuda
shift + esc
cancelar